Banner

Você está aqui:Home/Últimas Notícias/Rani Yahya fala sobre emoção de competir em torneios de Jiu-Jitsu: "É como um hobbie pra mim"
A+ R A-
17 Mai

Rani Yahya fala sobre emoção de competir em torneios de Jiu-Jitsu: "É como um hobbie pra mim"

  • Escrito por  Primeiro Round
  • Imprimir
  • E-mail
Avalie este item
(0 votos)
Rani Yahya fala sobre emoção de competir em torneios de Jiu-Jitsu: "É como um hobbie pra mim" Divulgação

Conhecido pelo seu alto nível na arte suave antes mesmo de ser contratado pelo UFC, Rani Yahya trilha seu caminho na organização como referência do Jiu-Jitsu nas artes marciais mistas. Campeão do ADCC em 2007, maior torneio de luta agarrada do mundo, o brasiliense que tem no currículo 17 finalizações anotadas em 23 lutas descartou retornar as origens, devido a gratidão que tem pelo Ultimate:

"Tenho bastante vontade de voltar a competir Jiu-Jitsu e me dedicar, só que o MMA fala mais alto pra mim. O MMA sempre foi meu grande sonho, e hoje em dia sou tratado como profissional, tenho um tratamento excelente dentro do UFC, com minha equipe. Isso impede de me seguir a diante com o desejo lutar apenas Jiu-Jitsu", afirmou o atleta.

Nas últimas semanas Rani Yahya participou de um torneio local de Jiu-Jitsu em Brasilia, onde enfrentou atletas da região centro-oeste do país. Mesmo focado em diversas artes marciais, o atleta venceu com certa facilidade o torneio, no qual considera como uma maneira de se manter ativo, enquanto aguarda seu próximo compromisso no UFC.

"No caso desse campeonato, foi um fim de semana que não tinha nenhuma viagem marcada, a data foi boa. Eu quero competir para treinar, sentir uma adrenalina, dar uma movimentada, funcionou bem pra mim. Quando acontecer outra ocasião como essa, algo que não interfira na minha próxima luta no UFC que é meu principal foco, eu pretendo lutar sim, porque gosto bastante. É como um hobbie pra mim", declarou Rani.

Segundo o próprio Rani subir no tatame tem um sabor especial, além de poder dar a oportunidade de atletas de menor expressão o enfrentarem.

"Existe sim o fator de competir sem o risco de não tomar porrada na cara (risos). O fato de competir ao lado de alunos e pessoas que treino também tem um sabor especial. É legal dar oportunidade a esses atletas de lutarem com alguém em um nível mais alto. Sou profissional, e treino diariamente, estou lutando ali com outros competidores que não tem o mesmo tempo que dedicação para a luta que tenho. Vejo como uma boa oportunidade pra eles também", finalizou o brasiliense.

Atualmente com 32 anos, Rani Yahya venceu 4 das últimas 5 lutas que fez na carreira. Em sua última apresentação no octógono, o faixa-preta acabou perdendo na decisão dos juízes para Joe Soto em uma das melhores lutas do UFC Fortaleza, que ocorreu em março desse ano.

Banner

Comentários

Revista Digital

A Edição 26 da Revista digital da Primeiro Round trás uma matéria especial  com a votação dos melhores do Ano no Paraná. Acompanhe!

Filtrar notícias por data:

« Junho 2017 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
      1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 29 30    

Blogs - Primeiro Round

 

 

  


Banner

Publicidade: