Banner

Você está aqui:Home/Últimas Notícias/WGP #37: Diego Gaúcho e Fernando Nonato fazem trilogia pelo cinturão dos super-médios
A+ R A-
15 Mai

WGP #37: Diego Gaúcho e Fernando Nonato fazem trilogia pelo cinturão dos super-médios

  • Escrito por  Primeiro Round
  • Imprimir
  • E-mail
Avalie este item
(0 votos)
WGP #37: Diego Gaúcho e Fernando Nonato fazem trilogia pelo cinturão dos super-médios Divulgação
No WGP Kickboxing é comum os atletas da mesma categoria se enfrentarem mais de uma vez, dada a quantidade de eventos realizados e o equilíbrio que impera nas divisões no maior evento de Kickboxing da América Latina. Na edição 37, que acontece no próximo dia 20 de maio, em Sorocaba (SP) a organização coloca frente a frente dois velhos conhecidos. Diego Gaúcho, atual campeão dos super-médios (até 78,1kg), encara pela terceira vez o carioca Fernando Nonato, desta vez valendo o título da categoria. Com uma vitória para cada lado, o duelo marca o tira-teima entre os dois e mostrará aos fãs o atleta mais completo da divisão. O WGP #37 terá transmissão ao vivo do Canal Combate, Fox Sports e Bandsports a partir das 21h.

Em primeira defesa de título, Diego Gaúcho supera acidente que quase custou a carreira

Diego Gaúcho, ao contrário do que leva no nome, é natural de Bragança Paulista, em São Paulo e iniciou a carreira tarde, com 19 anos. O apelido surgiu em uma fase importante da sua vida, quando decidiu largar o trabalho como açougueiro com o tio para se dedicar exclusivamente as artes marciais. As habilidades com as carnes lhe renderam a alcunha de Gaúcho, que carrega consigo até hoje.

"No começo foi complicado, eu comecei a treinar outras modalidades até me apaixonar pelo kickboxing. A partir daí resolvi largar o emprego como açougueiro para me dedicar exclusivamente aos treinos e aí que surgiu o apelido de Gaúcho. Minha família não aceitou muito no início e tive muita cobrança em casa, mas mesmo assim dei continuidade, hoje eles me apoiam e sabem que foi a melhor escolha", afirma.

No WGP o atleta vem de uma sequência de oito triunfos seguidos, sendo seis deles por nocaute. O duelo que marcou a conquista do título foi em cima de Thiago Michel, quando nocauteou o campeão na época com poucos minutos de luta em uma linda joelhada, que abriu um enorme corte na testa de Michel e forçou o árbitro a paralisar a luta. Aos 30 anos, o paulista soma números expressivos na carreira. Foram 60 lutas disputadas com 52 vitórias e apenas 8 derrotas. 

Apesar da conquista recente e de ocupar o tão sonhado posto de campeão do WGP, nem tudo foram flores para Diego. Logo depois da conquista do título, ele se submeteu a uma segunda cirurgia no quadril para corrigir uma lesão antiga, mas o problema não parou por aí. Após a recuperação, ele sofreu um grave acidente doméstico, que causou um profundo corte no antebraço direito e o fez perder momentaneamente o movimento das mãos.

"Em uma infelicidade sofri um acidente em casa e cortei parte do meu antebraço, rompendo o tendão. Fiquei sem o movimento das mãos e a primeira coisa que pensei foi que não voltaria mais a lutar. A primeira pergunta que fiz ao médico foi se poderia voltar a fazer o que mais amo. Graças a Deus fiz a cirurgia e depois de um longo tempo de recuperação estou 100% e com ainda mais vontade de mostrar porque eu sou o campeão", conta.

A primeira defesa de título vai ser contra um velho conhecido. Diego vai encarar Fernando Nonato pela terceira vez e com uma vitória para cada lado a luta do próximo dia 20 será a verdadeira ‘prova dos nove’. Demonstrando muito respeito pelo oponente, ele diz ainda o que deve fazer de diferente no duelo e não esqueceu de dar uma leve alfinetada no rival.

"Eu admiro muito o Nonato também e não tem nenhuma rivalidade entre nós. Meu estilo é esse mesmo, sou bem agressivo. Mas posso dizer que sou que nem um animal, quanto mais acuado mais perigoso fica", confia Gaúcho.

Fernando Nonato projeta título para coroar carreira

Nascido e criado na Baixada Fluminense, o carioca Fernando Nonato é mais um daqueles casos que encontraram no esporte a oportunidade de uma vida melhor. Com 14 anos de idade frequentava bailes funk no Rio de Janeiro onde as famosas brigas de rua eram liberadas. Por mais que essa tenha sido o motivo de sua entrada nas artes marciais, ao iniciar no kung fu, o carioca viu que aquela vida não o iria levar a lugar algum e decidiu tomar uma importante decisão: iniciar em uma faculdade e abandonar de vez as brigas de rua para focar só no esporte.

"Com o tempo vi que aquilo não era futuro e depois de me casar voltei para o treinamento voltado apenas para as competições, deixando de lado essa parte de briga, que de nada tem a ver com o esporte em si", lembra o carioca, que depois de começar a treinar decidiu entrar de vez na famosa ‘vida dupla’ que grande parte dos lutadores vivem até hoje.

"Fiz faculdade de administração e trabalhei como analista comercial em uma empresa que administra a região portuária do Rio durante um bom tempo. Conclui a faculdade em 2012 e hoje estou fazendo uma segunda faculdade de Educação Física. Passei por um bom período de vida dupla, mas hoje eu vivo do esporte, dou aulas e estou sempre competindo", afirma Nonato. 

A carreira profissional de Nonato só começou de fato aos 20 anos de idade e desde então ele não parou mais. Entre títulos estaduais, brasileiros e até mundial, o carioca marcou sua trajetória no WGP. Hoje com 37 anos e mais de 30 lutas na carreira, Nonato soma 12 confrontos realizados na organização e chega para disputar o cinturão pela segunda vez - na primeira foi derrotado pelo então campeão Thiago Michel. 

"O Diego Gaúcho é um cara que eu admiro muito, um atleta 100% íntegro e que só foca em lutar. Em todas as lutas dele, vi um verdadeiro serial killer, um matador nato, que vai sempre para nocautear. Ele vem para dentro mesmo, então qualquer erro meu pode ser fatal. O único ponto fraco que vejo é que ele é um caçador e nunca se sentiu a caça, então meu objetivo é caça-lo dentro do ringue e o fazer se sentir acuado. Nas lutas que nós tivemos eu o coloquei em perigo e acho que até por isso consegui uma vitória", garante.

O WGP #37 conta ainda com outros duelos de muita emoção. Na luta principal da noite, Felipe Micheletti concede a revanche a Haime Morais pelo cinturão peso-pesado (até 94,1kg). O Challenger GP da divisão dos super-médios também agita o card. Marcus Jon Jones e Rodolfo Cavalo fazem uma semifinal, enquanto o chileno Victor Valenzuela encara o paraguaio Sebastián Domínguez na outra chave. O vencedor é o próximo desafiante de quem levar a melhor entre Diego e Nonato.

WGP 37: Felipe Micheletti vs Haime Morais II

Data: 20/05
Local: Ginásio Municipal de Esportes "Dr. Gualberto Moreira" - Sorocaba/SP 
Hora: primeira luta prevista para 18h00, transmissão a partir das 21h00 (Fox Sports, Canal Combate e Bandsports).
Ingressos disponíveis em www.ingressorápido.com.br 

Card Principal

Main Event: WGP Heavyweight Title Bout
Peso Pesado (94,1 kg)
Felipe Micheletti (Carseti Fight Team) vs Haime Morais (FTT / Team Polvo)

Co-Main Event: WGP Super Middleweight Title Bout
Peso Super-Médio (78,1 kg)
Diego Gaúcho (Inside Munil Adriano) vs Fernando Nonato (MBK / ABAMM-RJ)

Challenger GP: Final
Peso Super-Médio (78,1 kg)
Vencedor da Semifinal 1 vs Vencedor da Semifinal 2

International Super Fight
Peso Meio-Médio (71,8 kg)
Wallace Lopes (Rio Fighters / ABAMM-RJ - Brasil) vs Gerardo Gonzalez (Herfanos Fight Team - Argentina)

International Super Fight
Peso Super-Médio (78,1 kg)
Rodrigo Diório (Reforce Fight - Brasil) vs Nicolas Ryske (Picante Fight Club - Argentina)

Challenger GP: Semifinal 2
Peso Super-Médio (78,1 kg)
Victor 'Sicozis' Valenzuela (Brutal Striker / WAKO Chile - Chile) vs Sebastian Dominguez (Team Fight Center / Team Pain - Paraguay)

Challenger GP: Semifinal 1
Peso Super-Médio (78,1 kg)
Marcus "Jon Jones" (China Team) vs Rodolfo "Cavalo" (Brazilian Alves)

Super Fight
Peso Meio-Médio (71,8 kg)
Lucas Almeida (Liga Sorocabana de Kickboxing) vs Mateus Gatti (Nak)

Super Fight
Peso Meio-Médio (71,8 kg)
Gabriel Siqueira (Team Big G) vs Arlison Tenchiran (The Rocky Kickboxing)

Super Fight
Peso Super-Leve (64,5 kg)
Vinicius Bereta (União ABC) vs Petros ‘Cabelinho’ Freitas (World Strong Fight Team)

Undercard

Disputa de Cinturão Brasileiro Profissional (CBKB)
Categoria 62,3 kg
Gustavo Piacentini (Company Top Fight) vs Douglas Nunes (Team Montenegro)

Fight
Peso Super-Leve (64,5 kg)
Diego 'Black D' Batista (CDL) vs Bruno Brazil (Carseti Fight Team)

Fight
Peso Leve (60 kg)
Robson Silva (Serginho Team) vs Jhonatan Teodoro (Company Top Fight)

Fight
Peso Leve (60 kg)
Fabio Lopes (Liga Sorocabana de Kickboxing) vs Luan Santos (Chaya Combat / Company Top Fight)

Fight
Peso Meio-Médio (71,8 kg)
Luis Francischinelli (CDL) vs Marcos Oliveira (RFW)

Fight
Peso Super-Pesado (+94,1 kg)
Yuri Hendrik (CT Celio Rodrigues) vs Matheus Carvalho (Camps Academia Votorantim)

Fight
Peso Galo Feminino (53 kg)
Cynara Araújo (Liga Sorocabana de Kickboxing) vs Bruna Wing (TCT)

Fight
Peso Meio-Médio (71,8 kg)
Alessandro Araújo (VCF / União ABC) vs Arinã Marins (China Team)

Comentários

Revista Digital

A Edição 26 da Revista digital da Primeiro Round trás uma matéria especial  com a votação dos melhores do Ano no Paraná. Acompanhe!

Filtrar notícias por data:

« Agosto 2017 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
  1 2 3 4 5 6
7 8 9 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30 31      

Blogs - Primeiro Round

 

 

  


Banner

Publicidade: